Maranhão volta praticamente a vida normal, atividades estão liberadas, mas máscaras ainda são obrigatórias
Blog do Professor Gil - Timbiras e Região

Maranhão volta praticamente a vida normal, atividades estão liberadas, mas máscaras ainda são obrigatórias

O estado do Maranhão volta a viver uma situação que remonta ao período pré-pandemia. Com a flexibilização das regras sanitárias, apenas grandes eventos, aulas em escolas públicas e o uso de máscara ainda deixam evidente que estamos vivendo a pandemia da covid-19. A partir desta quarta-feira (21), estão liberados teatros, cinemas, eventos com 400 pessoas, bares e restaurantes sem restrições de horário etc.

No Maranhão, o número de internações por Covid-19 reduziu bastante, situação que se manteve desde a última semana. Por conta dessa diminuição, o governador Flávio Dino flexibilizou as normas sanitárias e ampliou o funcionamento de estabelecimentos, decretando o retorno das aulas presenciais na rede pública estadual.

As novas medidas sanitárias incluem:

– retorno às aulas na rede pública estadual, a partir do dia 2 de agosto, no sistema híbrido – presencial e remoto;
– liberados cinema, teatro e igrejas; eventos com até 200 pessoas (ambiente fechado) e 400 (ambientes abertos e ventilados);
– administração pública com 100% da capacidade; grupos de risco vacinados retornam ao trabalho (exceto gestantes);
– comércio, indústria, bares, restaurantes, supermercados, academias e shoppings podem funcionar sem restrição de horário.

As medidas valem até dia 30 de julho.

A ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que chegou a ficar em mais 90%, estabilizou em 65% esta semana; já os leitos clínicos, reduziram a ocupação para 48%. A taxa de contágio no Maranhão também reduziu, ficando abaixo de 1%, na lista dos estados em queda da doença; e permanece como o de menos óbitos por Covid-19 do Brasil. Quanto aos municípios, 145 estão acima dos 85% de doses aplicadas. O Maranhão já recebeu 4,4 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19.

Categoria: Notícias