Blog do Professor Gil | Página 87
Blog do Professor Gil - Timbiras e Região

Câmara dos Deputados mantém prisão de Daniel Silveira

Por 364 votos favoráveis, 130 contrários e três abstenções, a Câmara dos Deputados decidiu manter, nesta sexta-feira (19), a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), preso em flagrante na última terça (16), após ataque a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) por vídeo.

Dos 18 deputados maranhenses, apenas Aluísio Mendes (PSC), Hildo Rocha (MDB), Josivaldo JP (Podemos) e Pastor Gil (PL) votaram contra a prisão do parlamentar.

Troca de pedetista por pedetista no DETRAN deixa claro que Weverton faz parte dos planos de Flávio Dino

Engana-se quem pensava que o governador Flávio Dino (PCdoB) pretendia tirar o PDT do seu governo pelo fato de ter apoiado Eduardo Braide (Podemos) em detrimento de Duarte Júnior (Republicanos) no segundo turno das eleições municipais de São Luís em 2020.

Ao contrário disso, Flávio anunciou na tarde desta sexta-feira (19) a troca no comando do Departamento de Trânsito do Maranhão (Detran MA), dando a entender que a mudança foi em comum acordo com a ‘pedetezada’.

Na prática, a troca de um membro do PDT por outro é seis por meia dúzia! Sai a apagada Larissa Abdalla e chega o rejeitado ex-prefeito codoense Francisco Nagib.

Dino poderia expulsar o PDT da pasta, dessa forma, repaginando esse setor do seu governo e concedendo espaço para novos aliados, no entanto, o gesto em permitir que o grupo de Weverton Rocha continue no controle do Detran-MA deixa claro que o governador não quer o senador longe…

Retorno das aulas na rede estadual será dia 22 de fevereiro, à distância

Mensagem da gestora Adelma no grupo URE INFORMAÇÕES:

Conforme vínhamos sinalizando a partir da pauta formativa, nosso retorno dia 22/02 será com ensino não-presencial/remoto.

O governador Flávio Dino na live sobre o panorama do coronavírus no estado acaba de confirmar o início das aulas na rede pública estadual apenas no formato remoto com o apoio de materiais da plataforma Gonçalves Dias.

A decisão foi tomada depois de ouvir as ponderações comitê e dos profissionais de saúde.

Bolsonaro diz que vai zerar impostos federais do diesel e gás de cozinha

Na sua live semanal, o presidente da República, Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira (18), anunciou que a partir do próximo mês, irá zerar os impostos federais para o diesel e gás de cozinha.

A informação foi dada pelo presidente Bolsonaro no dia em que a Petrobras anunciou mais um reajuste no valor do combustível. Na live, Bolsonaro inclusive criticou a Petrobras e, mesmo admitindo que a empresa tem autonomia, assegurou que “algo vai acontecer” na estatal nos próximos dias.

No entanto, apesar de zerar os impostos federais, o impacto para ser maior no bolso do brasileiro, será necessário que os governadores dos estados brasileiros estejam dispostos a, pelo menos, reduzir o ICMS no gás de cozinha e diesel.

Bolsonaro chegou a exemplificar o impacto do ICMS no gás de cozinha. “Se está R$90, os R$ 50 é imposto estadual e margem de lucro das distribuidoras”, afirmou o presidente da República que destacou que na origem o valor dele é de R$ 40.

Agora é com os governadores…

MA receberá 386,5 mil novas doses de vacina contra Covid-19

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, anunciou há pouco que o Maranhão receberá, já na próxima semana, 386.546 novas doses de vacina contra a Covid-19.

Segundo ele, a confirmação veio do Ministério da Saúde ainda na tarde desta quinta-feira (18).

Lula informou que, nessa próxima etapa, terão imunização priorizada idosos de 80 a 89 anos, quilombolas, povos ribeirinhos e mais trabalhadores da Saúde.

CNBB LANÇA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2021.

Tema da campanha se baseia na fraternidade e no diálogo.

Em meio à pandemia do novo coronavirus e a divergência de opiniões que vem mobilizando o país e o mundo, a Igreja Católica escolheu como tema da Campanha da Fraternidade 2021: ” a Fraternidade e o Diálogo: compromisso de amor”.
A CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil destacou que o lema da Campanha é “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”, trecho extraído da Carta de São Paulo aos Efésios.
Para a CNBB, a Campanha é um convite para todo o cristão a ter um coração fraterno e solidário, cultivando o amor dentro das famílias, da comunidade e da sociedade. Toda a programação da Campanha está mantida mesmo com a pandemia de Covid-19, com algumas adaptações.
As Igrejas vão manter o público em número reduzido e seguindo todos os protocolos, com o distanciamento, uso de máscara e álcool em gel.
A Campanha é lançada pela CNBB, todos os anos durante a Quaresma e é promovida por várias Igrejas Cristãs.

A Solidariedade na Pandemia

Por Dr. Gutemberg Fernandes de Araújo

Nos preparemos. Mesmo com a chegada das vacinas, a possibilidade de uma “vida normal” ainda está distante, segundo cientistas. Protocolos como uso de máscaras e distanciamento social, entre outros cuidados, ainda devem fazer parte do cotidiano da população em 2021. Mesmo que se perceba uma grande parte da população aceitando as recomendações das autoridades sanitárias, o comportamento de uma minoria muito representativa, já está causando aumento na incidência de casos e de mortes. Em um breve histórico, as aglomerações durante a campanha eleitoral, festas do final do ano, férias de janeiro e o carnaval trouxeram a possibilidade de aumento dos casos.

Temos um senhor Programa Nacional de Imunizações (PNI), de 45 anos, que eliminou a varíola e a poliomielite do país. Vacinou 18 milhões de crianças contra a poliomielite num só dia, 100 milhões de pessoas contra a H1N1 em três meses, em 2010, e 80 milhões contra a influenza, em 2020. Entretanto, só isso não basta. Aplausos sim para a ciência, capaz de inventar vacinas em apenas 10 meses. Somos a primeira geração capaz de criar, em tempo real, uma resposta. Algo sem precedente na história. Essa conquista traz consigo maiores desafios: produzir centenas de milhões de doses, distribuí-las e, mais importante, convencer as pessoas para que se vacinem.

O SUS tem uma capilaridade que nenhum outro país tem. Se a gente tivesse vacina, vacinaríamos todo mundo muito rapidamente. Assim, não há razão para desconfianças. As vacinas diferem em eficácia — Coronavac com 50%, Pfizer, 95%, e AstraZeneca/Oxford com uma média de 70% — mas todas são muito bem-vindas e ajudarão a reduzir a taxa de transmissão da Covid-19. Embora a rapidez do desenvolvimento tenha sido outro ponto de dúvidas do público, dá para confiar tranquilamente nas vacinas. Esses modelos são estudados há décadas. Foram investidos, bilhões, recrutaram as melhores cabeças e aumentaram a capacidade produtiva. Mas nenhuma etapa dos testes de segurança foi pulada.

Dentro desse contexto, os especialistas afirmam ser necessário um nível de cobertura vacinal de 75% para que a sociedade atinja um nível de imunização em que os efeitos benéficos da vacina sejam percebidos. O tempo de alcance desse nível de (75%) dependerá da quantidade de vacinas dispensadas pelo governo. Espera-se que aconteça no menor tempo, pois enquanto isso, o vírus segue se propagando. A partir de então, conquistaremos a imunidade de grupo, seja de maneira natural, porque o vírus infectou quantidade suficiente de pessoas para isso — com enorme custo humano —, ou porque muita gente se vacinou.

Ao mesmo tempo, devemos procurar nos recuperar dos impactos sociais, psicológicos e econômicos. Pessoas sem emprego passando dificuldades extremas, empresas fechadas, crianças sem estudar, profissionais da saúde exaustos física e psicologicamente. Quantas famílias de luto. Superar todos esses problemas não será algo rápido.

A bem da verdade, este cenário virulento além de um fenômeno biológico é também social. Se consultarmos os relatos da peste de Atenas em 430 a.C são exatamente os mesmos de hoje. A insegurança dos profissionais tratar uma doença desconhecida, a mortandade primária daqueles que cuidavam dos doentes. Mudou apenas a estação. Desinformação, negação, mentiras, superstições, sempre estiveram presentes em todas elas. Outra característica das pandemias é a dor, o sofrimento e a solidão. Há uma perda generalizada: sentimental, social, existencial, estrutural. Ou seja, vivemos uma temporada de dor.

Se me perguntarem o que acontecerá, não sei. O que sei é que precisaremos não só de uma vacina, mas de várias. Ressalvo que, contudo, as mutações já ocorridas no Sars-coV-2 ainda não são suficientes para torná-lo resistente às vacinas atualmente produzidas ou já aplicadas. Além da vacina, repito a necessidade de uma adesão em massa à imunização. O ato de vacinar transcende um desejo pessoal. É um poderoso instrumento de saúde pública que só funcionará coletivamente. Se for encarado com solidariedade, colaboração, responsabilidade. Apaguem o eu e escrevam o nós. Eu me vacinando me protejo, protejo a você e toda a sociedade.

Dentro desse cenário de incertezas, existem certezas.
Certeza 1. Vamos precisar usar máscaras – As máscaras se tornaram parte do nosso vestuário e isso vai seguir por um bom tempo. O ideal seria que incorporássemos essa peça definitivamente.

Certeza 2. O distanciamento social deve continuar – O distanciamento mínimo para evitar pegar o vírus de alguém infectado é de 1,5 metro. Diante de um espirro, uma gotícula com vírus dentro pode voar até 8 metros em alguns segundos.

Certeza 3. Lavar as mãos – 20 segundos de contato com o álcool em gel a 70% ou água com sabão para o Sars-CoV-2 ser eliminado das mãos. Higienize-se antes e depois de tirar a máscara. Ao entrar e sair dos lugares. Ao tomar contato com superfícies. Outro habito que deve torna-se definitivo.

Certeza 4. Precisamos que mais vacinas sejam distribuídas em tempo de não quebrar essa cadeia positiva.

Certeza 5. Adesão da população à imunização.

Por fim não pergunte somente o que os governos estão fazendo para combater a pandemia. Pergunte: o que você está fazendo ou o que pode fazer? Vamos manter uma consciência cívica. Caso contrário, poderá chegar o momento que não disporemos de leitos e o caos ficará instalado. Não cheguemos a tanto. Aos gestores, a certeza de que deverão estar com um olho voltado para a pandemia e o outro para as situações não COVID que já não são poucas e precisam de solução. A palavra-chave nesse momento é solidariedade. Gestores, população juntos de mãos dadas num esforço coletivo.

*Dr Gutemberg é Médico, Prof. Dr. de Cirurgia da UFMA, Membro da Academia Maranhense de Medicina, Autor do Livro “Desafios na Gestão da Saúde Pública no SUS”, Vereador de São Luís

Pré-selecionados no Prouni têm até dia 24 para realizar matrícula

Os candidatos pré-selecionados na segunda chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni) deste ano, têm até o dia 24 de fevereiro para comparecer às instituições de ensino para confirmar as informações declaradas na inscrição e fazer a matrícula. A lista com o nome dos selecionados e o cronograma do programa pode ser acessada pelo site do Prouni.

O programa oferece ainda, para aqueles que não foram selecionados nas chamadas regulares, a oportunidade de participar da lista de espera. Para isso, o estudante deve manifestar essa intenção pelo site nos dias 1º e 2 de março. A divulgação do resultado da lista de espera sai em 5 de março e as matrículas deverão ser realizadas entre 8 e 12 de março.

É necessário também que o estudante tenha cursado o Ensino Médio completo em escola da rede pública ou da rede privada, desde que na condição de bolsista integral. Professores da rede pública de ensino também podem disputar uma bolsa, e nesse caso, não se aplica o limite de renda exigido dos demais candidatos.

É preciso ainda que o candidato tenha feito a edição mais recente do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), tenha alcançado, no mínimo, 450 pontos de média das notas, e não tenha tirado zero na Redação.